novembro
17

O óbvio

Posted In: Motivação by Simone Castillo

Olá Pessoal.

Estou lendo um livro muito interessante que trata justamente do que venho trabalhando em meu site, meu próprio livro e meu blog: como a mudança no comportamento pode nos levar ao sucesso. Achei que valeria a pena que vocês lessem esse trecho pois ele retrara bem como muitas pessoas se sentem em relação às dificuldades e à própria realidade que vivemos. De que forma temos que aceitar a vida como ela é e principalmente aprender a ver oportunidades em todas as coisas erradas a que estamos acostumados a conviver ao invés de ficarmos reclamando e achando tudo péssimo. Dêem uma olhada, vale a pena :
” Muitas pessoas passam muito tempo desejando que as coisas fossem diferentes.
Se eu tivesse dinheiro para financiar minha idéia. Se tivesse aberto o negócio com meu cunhado, eu seria sócio de uma próspera fábrica de suco natural. Se eu tivesse mais tempo, clientes maiores, um bônus mais alto, um emprego melhor. Se eu fosse mais astuto, mais charmoso, mais alto, mais louro,mais sério,mais inteligente, mais rico…
Isso é a vida, não um sonho. E isso deveria ser mais do que suficiente. Muitos empresários são baixinhos e gordos. Muitos investidores deixaram passar uma grande oportunidade. Muitas pessoas que tiveram grandes idéias não dispunham do capital para financiá-las. Tiveram de ir atrás dele. A realidade não é um problema. É uma oportunidade.
A desidratação levou ao Gatorade. Cicatrizes cirúrgicas levaram à laparoscopia. A solidão levou ao Orkut. Comida presa entre os dentes trouxe o fio dental. Coisas que são problemas podem ser resolvidas. Coisas que não funcionam podem ser consertadas. Coisas que custam muito podem custar menos. Tecnologia que não funciona, serviços inoperantes, promessas quebradas, espaços apertados, alto consumo de combustível, estradas esburacadas, banheiros sujos, camas incômodas, refeições medíocres, paredes finas, lucros pequenos, custo alto, até o mau tempo.. tudo isso é realidade e todos são chances de melhorar alguma coisa. Aceite a realidade. Há uma fortuna nela.”

Fonte: James Dale

novembro
10

Quanto você Vale:

Posted In: Motivação by Simone Castillo

Um dia, um jovem rapaz, desanimado com a vida e com as pessoas, procurou um filósofo para ajudá-lo e disse:
- Venho aqui, professor, porque me sinto inútil, não tenho ânimo. Dizem que não sirvo para nada, que não faço tarefas bem feitas, que sou lerdo e muito idiota. Como posso melhorar? O que posso fazer para que me valorizem mais ?
O professor, sem olhá-lo, disse:
- Sinto muito, meu jovem, mas não posso ajudá-lo, devo primeiro resolver o meu próprio problema. Talvez depois.
E fazendo uma pausa, falou:
- Se você me ajudasse, eu poderia resolver este problema com mais rapidez e , depois, talvez possa ajudá-lo.
- Claro, professor – gaguejou o jovem- que se sentiu mais uma vez desvalorizado e hesitou em ajudar seu professor.
O professor tirou um anel que usava no dedo pequeno e deu ao jovem e disse:
- Vá até o mercado. Devo vender este anel porque tenho que pagar uma dívida. É preciso que obtenhas pelo anel o máximo possível, mas não aceite menos que uma moeda de ouro. Vá e volte com a moeda o mais rápido possível.
O jovem pegou o anel e partiu. Mal chegou no mercado, começou a oferecer o anel aos mercadores. Eles olhavam com algum interesse, até o momento em que o jovem dizia o quanto pretendia pelo anel. Alguns riam, outros saíam sem ao menos olhar para ele, mas só um velhinho foi amável a ponto de explicar que uma moeda de ouro era muito valiosa para comprar aquele anel. Tentando ajudar o jovem, chegaram a oferecer uma moeda de prata e uma xícara de cobre, mas o jovem seguia as instruções de não aceitar menos que uma moeda de ouro e recusava as ofertas.
Depois de oferecer a jóia a todos que passaram pelo mercado, abatido pelo fracasso, voltou. Entrou na casa e disse:
- Professor, sinto muito , mas é impossível conseguir o que me pediu. Talvez pudesse conseguir duas ou três moedas de prata, mas acho que não se possa enganar ninguém sobre o valor do anel.
- Importante o que disse, meu jovem. Devemos saber primeiro o valor do anel. Volte e vá até o joalheiro. Quem melhor para saber o valor exato do anel? Diga que quer vendê-lo e pergunte quanto ele lhe dá. Mas não importa o quanto lhe ofereça, não o venda. Volte aqui com meu anel.
O jovem foi até o joalheiro e lhe deu o anel para examinar. O joalheiro examinou-o com uma lupa, pesou-o e disse:
- Diga ao seu professor que, se ele quiser vender agora, não posso dar mais do que 58 moedas de ouro pelo anel.
O jovem surpreso exclamou:
- 58 MOEDAS DE OURO!!
- Sim,- replicou o joalheiro ,- eu sei que, com tempo, poderia oferecer cerca de 70 moedas, mas… se a venda é urgente…
O jovem correu emocionado de volta para contar o ocorrido.
O professor, depois de ouvir tudo o que o jovem lhe contou, disse:
- Você é como esse anel, meu rapaz, uma jóia valiosa e única e que só pode ser avaliada por pessoas que saibam reconhecer o valor de outras pessoas.
E dizendo isso voltou a colocar o anel no dedo :
- Todos somos como esta jóia, valiosos e especiais e andamos pelos mercados da vida sendo avaliados por pessoas erradas que nos fazem perder a confiança e a crença em nossos próprios talentos.

Fonte: Parábolas eternas